Estudantes de Capoeiras reclamam da mal qualidade do transporte escolar do municipio

Foto reprodução: Transporte escolar / informações blog Roberto Almeida

Estudantes universitários de Capoeiras, através de uma mensagem para o Blog Roberto Almeida faz reclamações referentes ao transporte escolar daquele município.

Assim como o Blog Roberto Almeida, o Caetés News está à disposição à Prefeitura, Secretaria de Transportes ou de Educação, desde que queiram se manifestar ou explicar os problemas enumerados no e-mail dos estudantes.

Segue o texto escrito pelos estudantes, que não quiseram se identificar temendo algum tipo de represália.

Caro Roberto Almeida,

Peço encarecidamente que nos ajude postando a seguinte matéria em seu renomado e conceituado Blog. Que está a serviço do município de Capoeiras e de todo o Agreste Meridional.

A atual situação em que se encontram os veículos que fazem os percursos com os estudantes é precária e estarrecedora.

Os Ônibus Escolares se encontram quebrados, alguns até sucateados, mesmo com todos esses problemas na frota de transporte escolares de Capoeiras a Prefeitura não toma nenhuma providência para resolver tais problemas.

Acabam prejudicando todos os alunos desde os que estudam ensino fundamental e médio no próprio município, aos que estudam ensino superior nas cidades vizinhas. Exemplo é o pessoal que estuda no turno da noite na UPE (Universidade de Pernambuco): Se não bastasse a distância de Capoeiras a Garanhuns, o Secretário de Transporte e a Secretária de Educação resolveram alterar o horário do transporte que faz o trajeto Capoeiras a Garanhuns.

A Van sai de 17h e retorna para o município à 23h. Antes saía de Capoeiras às 18h. Vejam bem: as aulas da UPE tem início às 19h e terminam às 21h. Os alunos passam duas horas jogados nas ruas escuras e perigosas de Garanhuns.

 Quando o carro deixa os alunos na UPE ele volta para Capoeiras com os professores.  O mesmo veículo aguarda até os professores saírem do Colégio Municipal José Soares de Almeida no horário de 22 horas, daí então retorna pra Garanhuns chegando na UPE quase 23 horas.

Como se não bastasse os “pobres” alunos esperarem quase duas horas no meio da rua, na qual são registrados frequentemente assaltos, estupros, roubos e sequestros.

Segundo depoimentos de alguns comerciantes é totalmente impossível manterem seus comércios abertos após as 22 horas, por causa do grande número de assaltos ocorridos naquela área, mesmo tendo um segurança particular, contratado por eles mesmo, afirmaram alguns comerciantes situados naquela localidade, que por segurança preferirão não terem seus nomes citados.

Então surgem várias a perguntas:                          

– É seguro ficar até esse horário jogados na rua como se fossem lixo?  

– É correto colocar um veículo com um trajeto desse tamanho para carregar estudantes que precisam descansarem para trabalhar no dia seguinte?

– Só lembrando que alguns retornam para a zona rural no mesmo dia… É seguro voltar em segurança a essa hora da noite para a zona rural?         

Acho que, infelizmente, nem é necessário responder essas perguntas, pois todos sabem as respostas!…

Alguns dias atrás uma “pessoa” enviou uma denúncia para esse mesmo “BLOG”, denúncia essa ignorada pelas autoridades, se é que posso chamar de autoridades.

Desde o dia em que foi enviada a denúncia, o motorista não faz outra coisa, a não ser tentar descobrir quem foi o aluno ou aluna que fez a denúncia.

Semana passada, quando retornávamos pra Capoeiras o motorista chegou a pegar uma briga com um aluno, que se reclamava das más condições impostas aos alunos, que têm de aceitar à força se quiserem ir para a faculdade.

O motorista se estressou, alterou o tom de voz com o aluno, até quando o aluno conversava com o colega, o motorista se irritou e falou: “Por que não vira homem e fala mais alto para eu ouvir! Odeio cochichos”.

Meu Deus a que ponto pode chegar um “profissional” sem qualificação alguma para conduzir um transporte com quase 20 pessoas.  Não só o motorista, mas também o transporte se encontra sem os parâmetros legais para realizar esse tipo de transporte e é claro não podia deixar de falar a situação em que está a porta da Van, não tem mais a partes do forro usadas para cobrir a lataria e evitar acidentes letais, em caso de uma freada brusca.

Já pela parte de fora a porta não tem puxador, tem apenas um orifício com um cabo de aço, orifício esse formado por partes cortantes nas laterais.  Toda vez em que um aluno ou professor tem que subir ou descer do transporte, é necessário o motorista descer para abrir a porta, pois o mesmo já está acostumado com as artimanhas da porta do veículo.

Peço encarecidamente a Prefeitura Municipal que tome todas as providências necessárias para a resolução desse grande problema, pois da forma que está é impossível continuar com essas más condições.

Só não esperem acontecer o pior!

Estudantes universitários de Capoeiras.


 

Deixe uma resposta